Um Natal em quatro atos - 3° Ato: Chegada


“Naqueles dias César Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de todo o império romano. Este foi o primeiro recenseamento feito quando Quirino era governador da Síria.” Lucas 2:1,2


Jesus nasceu quando o Império Romano havia atingido o seu apogeu. A expansão do domínio era tanta que foi necessário fazer um recenseamento para saber quantos estavam debaixo do poderio Romano.

Os romanos com certeza se gabavam de serem os senhores de todo o mundo conhecido, no entanto, o Senhor do universo havia dado a eles todo esse poderio com um propósito, o de mostrar a sua glória:
        
    Devido a língua grega (koinê) ter sido considerada oficial em todas as províncias, a comunicação se tornara mais fácil.
   
   O Império Romano havia construído grandes estradas que interligavam as províncias, tornando mais rápidas as viagens, a empreitada missionária cristã seria mais acessível.
       
    O Império Romano preservava a religião de cada povo, assim a religião judaica havia sido mantida em seus rituais, escrituras e pregação, o que faria com que Jesus pudesse ser reconhecido como Messias por alguns, como de fato o foi.
     
Portanto, Deus mostra seu poder e soberania ao intervir na história no momento propicio para tanto. Momento que Ele mesmo torna adequado.

O Senhor preparou tudo antes de se manifestar. Assim Ele age em nossas vidas também, nada acontecerá por acaso, tudo já vem como resultado de um planejamento de Deus que muitas vezes não está claramente diante dos nossos olhos.

Por que Ele veio? Porque você não é forte o suficiente para vencer o pecado.

Muhamad Ali foi um dos maiores lutadores da história do boxe mundial. Um jornalista definia sua técnica de luta como “a abelha”, porque ele flutuava na frente do adversário e o atingia como uma picada.

Durante toda a sua carreira Muhamad Ali praticamente não viu adversários à sua altura. Mas no fim de sua história foi vencido por um inimigo silencioso, que se desenvolveu em seu corpo sem que ele percebesse, foi acometido pelo mal de Parkinson. Inimigo que ele não podia golpear com seus punhos.

O pecado é assim também, um inimigo que não podemos vencer com nossa força, inteligência e racionalidade. Sua força está além de nós.
Jesus veio para nos garantir a vitória sobre o pecado.

Para tanto Ele veio iluminar nosso entendimento sobre o pecado. Abrir nossos olhos para os mistérios divinos e dar-nos a única possibilidade de vencer o pecado, um novo coração: “Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne”. Ezequiel 36:26

Imagine se o Steve Jobs pudesse ter transmitido antes de morrer todo o seu conhecimento para um de seus filhos. Pois bem, é disso que Deus está falando, em nos dar a possibilidade de termos “A mente de Cristo”. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente.

Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois "quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo? " Nós, porém, temos a mente de Cristo.” 1 Coríntios 2:14-16
É com a mente transformada em uma mente semelhante à de Cristo que venceremos o pecado (Rm 12.2).

Por que Ele veio? Porque você não pode vencer a morte sozinho.

A ciência tem se expandido em muito no conhecimento. No entanto, ainda é vencida pela morte. A morte é a grande inimiga da humanidade, para ela, segundo o dito popular, não há jeito.

“Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o diabo, e libertasse aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte.” Hebreus 2:14,15

A morte encontra sua derrota na ressurreição de Jesus, Ele concede essa vitória a todos os que nele creem.

Jesus disse: “Aquele que crê em mim ainda que esteja morto, viverá”.

Crer em Jesus significa aceitar sua morte substutiva, Ele morreu nossa morte.

Paulo explica assim essa vitória: "Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão? " O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.

Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” 
1 Coríntios 15:55-57 

Paulo compara a morte com o ferrão de uma abelha, depois de ferroar, a abelha não tem mais nada para ameaçar. O Ferrão da abelha, ou, a força da morte sobre nós, era o pecado. A Lei de Deus mostrava essa força do pecado sobre nós. Mas Cristo veio, assumiu nossa culpa diante do Pai, morreu como condenado, e ressuscitou, por estarmos nele, estamos livres da condenação e ressuscitados. “Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus.” 1 Coríntios 6:11

Por que Ele veio? Porque Deus te ama.

O artista termina a canção é ovacionado pelo público e grita “Eu amo vocês”. A vontade que dá é gritar de volta “Prove”.

Deus provou o seu amor por nós: “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores”. Romanos 5:8 Mesmo quando você se comportava como um inimigo de Deus, o Senhor já te amava.

Havia um amor de Deus reservado especialmente para você, este foi revelado na cruz de Cristo. “... nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados” (I João 4.10)

Mesmo quando você não se importava com a existência de Deus. Havia uma “graça comum” que te cercava, era Deus te amando de longe. “Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos.” Mateus 5:45

Ele veio porque Deus queria te amar de perto, mais precisamente, dentro do seu coração. Ele veio porque Deus quer que esse amor seja para sempre. 

Para tanto, Jesus morreu para derrubar a barreira que nos impedia de vivenciar tal amor, o pecado.

Por que Ele veio? Porque você estava perdido.

Cada um de nós traçava seu próprio caminho.

Sabe aquela história de que todos os caminhos levam a Deus? Jesus não concorda com isso. Ele diz que é o único caminho para o Pai.

Na vertente de pensar que todos os caminhos levam a Deus, a humanidade se perdeu. As rotas se tornaram confusas quando alguém disse que havia encontrado um deus diferente do que o outro encontrou.

Jesus traça um caminho longo e curto ao mesmo tempo. É longo porque vale por toda a vida, é curto porque Deus é encontrado logo no início da caminhada, e segue com a gente.

Ele veio para nos mostrar que o caminho para Deus é na verdade o caminho com Deus. “Então Jesus disse aos seus discípulos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.” Mateus 16:24 Seguimos com Jesus, e Jesus é Deus.

Por que Ele veio? Porque você precisava saber a verdade. 

Você estava morto. Morto no sentido de que todas as suas potencialidades estavam reduzidas pelo pecado.

É como o pássaro preso na gaiola, ele tem proteção, comida, água, e quem sabe até uma companheira, mas sua vida é limitada.

O pecado limita nossas vidas, o Senhor Jesus nos disse: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Ele veio porque a verdade precisava ser dita e vivida, por Ele e por nós.

Por que Ele veio? Porque você precisa de um salvador.


Ele veio... por você!!!
Share on Google Plus

Sobre Eduardo Cruz

Não sou bem um escritor, sou um pastor que escreve.

0 comentários:

Postar um comentário