O cristão pode falar palavrão?

“Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem.” Efésios 4:29

Palavras são muito importantes, elas são usadas para demonstrar nossos sentimentos, biblicamente falando elas se tornam mais relevantes ainda. Jesus disse que seríamos julgados por toda palavra que saísse de nossa boca( Mt 12.36). A razão é uma só, as palavras descortinam o nosso coração “A boca fala do que o coração está cheio”(Mt 12.34).

A santidade equivale, portanto, aquilo que falamos também, o texto que lemos nos exorta dizendo:

“Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês”

O termo “torpe” em grego "σάπιος" significa “Podre”, “Sem valor”. Ou seja, falar palavras torpes significa que seu coração está repleto de sujeira. 

Mas e quanto às palavras ditas no calor da emoção, não seriam elas apenas resultado de um descontrole?

Na verdade quando estamos sobre conflito não escolhemos como de costume nossas palavras, não conseguimos medi-las, a verdade é que elas estavam lá no fundo da nossa mente, guardadinhas, repreendidas por nossos medos ou moderação moral, mas no calor da tensão foram liberadas. Elas dizem exatamente o que pensamos.

Há também os que defendem o palavrão como forma de desabafo diante de uma situação insatisfatória, na verdade isso só mostra a ira diante de algo que não se pode mudar, e que foi arquitetado pelo próprio Deus - visto que nós cristãos cremos que Ele tem todas as coisas sob controle - não passa de uma atitude de rebeldia e insubmissão, uma exaltação do ego.

O palavrão além de tudo denigre a imagem do nosso semelhante, torna sujo e banalizado o que se refere ao sexo, que a Bíblia mostra como belo.

É preciso que cuidemos daquilo que está em nossa mente, palavras torpes são o diagnóstico de uma mente irada, promiscua, longe da santidade. Veja o que a Palavra de Deus nos diz: “Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador!” Salmos 19:14

É triste ver cristãos ditos habitados pelo Espírito Santo com um linguajar chulo. Usando palavrões em suas conversas informais, como se fossem iguais a todos que os cercam, como se a presença de Deus em suas vidas não trouxesse nenhuma mudança de pensamento e nenhuma paz de espírito.

Não admita meu irmão que sua boca profira aquilo que nunca poderia ser dito por alguém possuído pelo amor, bondade e paz do Senhor. Onde encontramos nos Frutos do Espírito um só que corresponda ao descontrole ou à ira? Pelo contrário, lá estão o domínio próprio, a benignidade, a bondade e a paz (Gl 5.22).

O Senhor Jesus deseja habitar em teu coração e torna-lo puro. Somente os puros de coração verão a Deus (Mt 5.8). O Senhor quer que seus filhos sejam cheios de amor, graça, misericórdia, e que seus lábios possam proferir palavras que correspondam a essa riqueza da qual deseja enchê-los.

Veja o que a Palavra de Deus nos orienta para tanto:
“Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor,
dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.” Efésios 5:18-20


Vigie seus pensamentos, absorva somente o que é bom. Coloque sempre diante de seus olhos coisas louváveis, canções que remetam às coisas agradáveis, leituras que alimentem do melhor a sua alma.

“... útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem”

As palavras podem matar (tirar o prazer de viver), impedir a comunhão e tirar nossa possibilidade de adorar a Deus (Veja Mateus 5.21-26). Nosso coração transformado e plenamente habitado por Deus é que nos dará a possibilidade de expressar palavras abençoadoras.

Cheios do Espirito Santo teremos a possibilidade de ter a palavra certa em tempo oportuno de maneira à conduzir as pessoas sempre para mais perto de Cristo.

Deus quer pôr em nossos lábios a palavra de exortação amorosa, consolação e salvação. Para tanto, deixemo-nos possuir por sua Palavra de tal forma que o nosso pensar se confunda com o de Jesus. Renove sua mente (Rm 12.1,2), alinhe seu coração com a vontade de Deus.
 



Share on Google Plus

Sobre Eduardo Cruz

Não sou bem um escritor, sou um pastor que escreve.

2 comentários:

  1. Este texto está bom pra... caramba. Kkk

    Parabéns amado.
    Que Deus continue lhe abençoando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Joel, que bom que gostou, abração.

      Excluir