Renda-se

Não ofereçam os membros dos seus corpos ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros dos seus corpos a ele, como instrumentos de justiça. Romanos 6:13

O que significa render-se a Deus?

“Não ofereçam os membros dos seus corpos ao pecado, como instrumentos de injustiça”

O que significa isso? Como instrumentos do pecado sabemos que:

Nossas mãos podem cometer atos violentos;

Nossos pés podem ir em direção aos caminhos que nos afastam do Senhor;
“Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra.” Salmos 119:101

Nossos olhos podem se demorar naquilo que alimenta o nosso pecado;
“Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei.” Salmos 16:8

Nossos ouvidos podem ser oferecidos de bom grado a conversas torpes;

Nossa boca pode servir de instrumento da morte de muitos pela depreciação e pela fofoca.
“Porque Quem quer amar a vida, E ver os dias bons, Refreie a sua língua do mal, E os seus lábios não falem engano.” 1 Pedro 3:10

Tornar-se como Jesus requer uma anulação sacrificial e voluntária de nossa parte:
“Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
E, se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.” Mateus 5:29-30


Deus deseja regenerar nosso ser por inteiro, e isso inclui lógico, a ação dos membros do nosso corpo, o pecado não terá domínio sobre nós porque estamos debaixo da graça que nos sustenta, isto significa que:

1. Não precisamos mais ser maus. Todos os nossos anseios que antes saciávamos no pecado podem ser plenamente saciados em Deus.

2. Deus se faz presente graciosamente em nós sem necessidade de mérito algum nosso. O que nos dá a condição de mesmo quando falharmos sabermos que não seremos rejeitados.

A partir disso podemos nos render a vontade de Deus, o que na verdade significa permitir que Cristo seja uma extensão em nós.

Para vencer o pecado é necessário ocupar a casa que foi adornada pelo conhecimento da verdade, lembra da parábola de Jesus? “Quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares secos, buscando repouso; e, não o achando, diz: Tornarei para minha casa, de onde saí.
E, chegando, acha-a varrida e adornada.
Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o último estado desse homem é pior do que o primeiro.” Lucas 11:24-26


A substituição do pecado pela justiça se dá quando deixamos que Cristo assuma nossa forma de agir e pensar, e que a partir disso:

Nossas mãos toquem e abençoem aqueles que necessitam assim como Cristo os tocou e abençoou;

Nossos pés percorram o caminho que o Senhor Jesus percorreu enquanto estava aqui na terra, pergunte-se aonde Jesus iria e você se surpreenderá ao descobrir que ele iria muito mais onde houvesse a necessidade de fazer conhecido o Pai. Podemos ser missionários que desbravam a rua próxima a nossa, ou a sala de jantar daquele amigo descrente;

Nossos olhos se demorem amorosamente sobre os invisíveis da sociedade, Jesus notou a dor daqueles que ninguém notava;

Nossos ouvidos estejam atentos ao clamor dos desesperados e à voz do solitário, assim como os de Jesus estavam;

Nossa boca proclame as Boas Novas, o Evangelho que traz vida.

Assim cedemos o que somos aceitando sermos o que Jesus é, e sendo como Cristo, nos sentimos plenamente realizados. “O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.” Mateus 12:35

“... ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida”

Ofereçam-se a Deus como quem não morre mais, pois a morte que lhes cabia já foi vencida. O que somos agora seremos pra sempre, e somos de Deus.

Oferecer-se a Deus como gratidão, como uma resposta por aquilo que Ele nos fez.

Nossa gratidão fara de nossas vidas a semelhança da vida de Cristo, que tinha um sentimento de ação de graças continuo ao Pai por tudo que este representava para Ele.

A vida de gratidão é a vida da confiança absoluta nos desígnios divinos, o Ele permite, descansa no Ele sabe, Ele ama.  Somos gratos pelo que Ele é.

E vivamos como quem passou da morte para a vida “Sabemos que já passamos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos. Quem não ama permanece na morte.” 1 João 3:14

É a vida de gratidão e cheia de amor que justifica nossa ressurreição.

 



Share on Google Plus

Sobre João Eduardo Cruz

Não sou bem um escritor, sou um pastor que escreve.

0 comentários:

Postar um comentário